Estados e Capitais do Brasil
 
Pará

Pará


1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (14 voto(s), média: 4,21 de 5)

O Pará é o segundo maior estado do Brasil em área territorial e o mais populoso e rico da Região Norte. Faz fronteira com o Suriname e a Guiana, além de ser banhado pelo Oceano Atlântico. A unidade federativa é composta por 144 municípios e a sua capital é a cidade de Belém. O nome Pará tem origem indígena, e vem da língua tupi que significa “mar”.

A região onde hoje é o Pará, segundo o Tratado de Tordesilhas, deveria pertencer à Espanha, que também foi a primeira nação europeia a chegar na foz do rio Amazonas. Com objetivo de consolidar a região como seu território, Portugal ergueu o Forte do Presépio. Em 1751 foi criado o Grão-Pará, que abrigava o que hoje é a Região Norte quase toda, com exceção do Acre que não fazia parte do território brasileiro. Após a união com o Brasil independente, em 1823, a província do Grão-Pará começou a se tornar mais autônoma, mas não sem lutas: de 1835 a 1840 ocorreu a revolta popular que ficou conhecida como Cabanagem. Em 1850, a província do Grão-Pará foi dividida, gerando a partir disso a província do pará. E no final do século XIX começa o Ciclo da Borracha, que traz ao Pará um grande desenvolvimento, não só econômico, mas cultural e político também.

No Pará está localizada uma boa parte da bacia do rio Amazonas, e é nele em que a foz é encontrada. O relevo da região é em grande maioria baixo e plano, cerca de 58% tem menos de 200 metros acima do nível no mar. As parte altas são as serras, como a Serra dos Carajás. Por conta da localização perto do mar, a bacia do Amazonas e também a presença da floresta tropical de mesma nome, o estado possui um clima predominantemente tropical úmido. Na área do estado, de 1,248 milhões de km² aproximadamente, estimasse um total de mais ou menos 8,078 milhões de habitantes, o que leva a uma densidade demográfica de 6,47 hab/km².

A economia do Pará tem um grande destaque: o extrativismo. As atividades econômicas que mais trazem recursos para o estado são: a extração de minerais, como ferro cobre e alumínio, e de madeira. Existe também uma importância nos negócios agropecuários em menor quantidade, e os produtos mais comuns são: pimenta do reino, coco e banana. Por conta do extrativismo mineral a industria metalúrgica também se desenvolve na região.

O estado tem uma grande influência dos indígenas nativos na sua cultura, e isso se reflete em muitos aspectos: folclore, artesanato e culinária por exemplo. Algumas frutas da região também trazem uma parte cultural do estado consigo, o açaí e a castanha-do-pará são produtos que nos fazem lembrar do local. O Pará também tem atrações turísticas, principalmente na área ambiental e ecológica, além do turismo cultural e histórico na capital, Belém.